29 dezembro 2008

Intimações do Ministério Público da Justiça

Eu ia escrever sobre outra coisa hoje, mas fica para amanhã. Hoje quero comentar um spam recebido por meu colega Ismaga (não é seu verdadeiro nome).

Começa dizendo que é intimação. Neste país de otoridades e abusos, intimação assusta qualquer um. Aí, o remetente se identifica como "Procuradoria Regional da Justiça".

Vamos analisar:

1 - Se é de Justiça, já é estadual, então nunca teria o nome de "Regional".
2 - "Da" Justiça não: "de" Justiça. O idiota que escreveu não sabe a diferença, pra ele é tudo Justiça, Poder Judiciário, otoridade. Mas Ministério Público nunca é "da" Justiça. Só pra você saber: a justiça do nome das procuradorias não é o Poder Judiciário ("a" Justiça), mas o valor moral, sem artigo. Procurador = pro curador, ou seja, alguém a favor de tomar os cuidados com. Eles cuidam da justiça, é o que diz o nome.

Em outras versões, o texto diz que é do "Ministério Público da Justiça" -- órgão que, aliás, NÃO EXISTE.

O texto prossegue, dizendo ser do Ministério Público do Trabalho e exigindo seu comparecimento a depor em Brasília.

Continuemos:

3 - Ministério Público estadual ou do Trabalho? Se é Procuradoria de Justiça, é estadual.
4 - Brasília??? Mas a Procuradoria era Regional. E como é que Ismaga, estando no Rio, seria chamado a depor em Brasília? Pra isso eles mandam carta precatória, e o procurador daqui é que te ouve, não o de lá.

Diz o email que tem fundamento nos artigos 137 e 119, VI, da Constituição federal.

Prossigamos:

5 - O artigo 137 versa sobre estado de sítio. BASTA OLHAR. Será que o Ministério Público quer ouvir Ismaga antes de pedir ao presidente da República que decrete estado de sítio?
6 - O artigo 119 versa sobre Justiça Eleitoral, não do Trabalho. E não tem inciso VI; pára no II.

Finalmente, quando o assunto é sério, o Poder Público NUNCA manda email. É sempre pelo correio ou até pessoalmente. Pela simples razão de que a mentalidade ainda é a do papel.

Claro que termina dizendo "clique aqui".

E tem também aqueles emails onde um banco supostamente ameaça tirar seu acesso à Internet (sim, isso mesmo: você vai ser desconectado), todos escritos em miguxês. Essa é uma fraude primária, em que já não cai uma criança de três anos. Ainda mais que, quando você desliza o mouse em cima do "clique aqui", aparece o endereçamento real: saites obscuros e escusos de roubo de senha. Normalmente eu recebo esses de bancos onde não tenho conta, então estou ca*ando se eles tirarem meu Internet banking.

Se alguém ainda cai, e depois tem sua senha roubada, sinceramente, eu acho que é BEM FEITO. Bem feito pela preguiça de pensar, pela ignorância voluntária, por achar que comparecimentos a audiências se resolvem com um mero clique -- preguiça de ir até lá também --, por serem analfabetos no uso da Internet, que não é para crianças.

Recém-lidas:
Action Comics #23 (abril de 1940), primeira história;
Green Lantern #16 (outubro de 1962).

EOF

2 comentários:

Baxt disse...

Concordo com voce se o pato, digo, a vitima, for menor de 30 anos. Merece se ferrar por ser burro. Mas o povo um pouco mais velho fica confuso e assustado com esses mails, e com toda a razao. Minha mae e meu pai tem (com acento) um bom conhecimento de internet e tal, mas eles tem (com acento de novo) mais de 50 anos, e nao se pode exigir que sejam tao safos assim.
Por via das duvidas, na familia a orientacao eh nunca clicar em nada, e se estiverem em duvida perguntem para um dos filhos.
O mesmo acontece com aqueles golpes de telefone. Minha vo, com mais de 80 anos e ja meio bilo das ideias (agora sem acento), caiu em um desses, e eh impossivel fazer ela entender do que se trata, como agir e tal. Se ligarem de novo, ela vai cair de novo. Sorte que ela nao sabe os celulares de cor.

(required field must not be blank) disse...

Baxt, eu estava aqui mostrando seu comentário prà Digníssima e olha só do que nos demos conta: a inversão de valores. Os PAIS orientados a perguntar aos FILHOS. E é isso mesmo: comigo é a mesma coisa. O Alexandre Maron tem razão naquele post sobre como os nerds conquistaram o mundo. Bem, não era exatamente o que ele dizia, mas o contexto é. Nós, geração-de-trinta, dominamos os meios de comunicação da Nova Ordem Mundial. Nós somos os safos.

Brrr.